CPA – Comissão Própria de Avaliação

Metodologia

Para a aplicação da autoavaliação institucional, a CPA coordena a autoavaliação institucional a partir de dois momentos distintos que se complementam, um no primeiro semestre e outro no segundo semestre, assim organizados:

  1. Avaliação interna com discentes, docentes e coordenações no primeiro semestre de cada ano letivo, após andamento de aproximadamente 70% da carga horária do semestre, visando dimensões e indicadores que possam, através dos resultados, auxiliar e orientar na gestão de processos educacionais e organizacionais no âmbito dos cursos de graduação presencial da UniFCV – Neste momento são aplicados 6 instrumentos;
  2. Avaliação interna com discentes, docentes e coordenações, tanto do presencial quanto do EAD, tutores, departamentos, corpo técnico-administrativo no segundo semestre do ano letivo, após andamento de aproximadamente 70% da carga horária do semestre, visando todas as dimensões e indicadores previstos pela Lei 10.861/2004;
  3. Indicador de Desempenho Docente, que consiste na verificação permanente do desempenho docente no âmbito de sua função nos cursos de graduação presencial da UniFCV. Este indicador será representado em nota-conceito de 1 (um) a 5 (cinco), composta a partir da média simples de notas das avaliação discente, da autoavaliação docente e da nota atribuída ao curso no componente 2.1 e 2.2, intitulado “Corpo Docente” extraído do instrumento e avaliação de reconhecimento ou renovação de reconhecimento do curso.

A metodologia, com base no “Roteiro de Autoavaliação”, disponibilizado pelo SINAES em 2004, será subdividida em seis etapas:

a) descrição e deliberação;

b) concepção e preparação;

c) experimentação;

d) sensibilização e execução;

e) análise e diagnóstico;

f) discussão e divulgação dos resultados.

Os dados são coletados através de instrumentos distintos com relação aos grupos respondentes, finalidades e estrutura. No primeiro semestre, três instrumentos são aplicados a três grupos: discentes, docentes e coordenadores. No segundo semestre são aplicados seis instrumentos, um para cada grupo: discentes (presencial), discentes (EAD), docentes e coordenadores (presencial), tutores, docentes e coordenadores (EAD), colaboradores técnico-administrativo e gestores técnico-administrativos.

Cada item dos instrumentos é verificado, aprovado e agrupado pelos membros da CPA de acordo com os eixos e as dimensões propostas. Os instrumentos para a coleta de dados são elaborados a partir da técnica de questionário para pesquisa, priorizando a utilização de uma escala likert de cinco níveis, havendo também questões abertas, questões condicionadas a questões anteriores e itens destinados às críticas, pontos positivos e sugestões. Alguns itens são expressos em escalas maiores ou menores, a depender do item e de sua dimensão para a medição e resposta.

Os itens são prioritariamente exprimidos através de afirmações a partir de expressões de classe “positiva” visando a consideração positiva dos sujeitos pesquisados. As respostas são convertidas em notas-conceito de 1 (um) a 5 (cinco). As notas-conceito atribuídas a “não se aplica” não serão consideradas para fim de cálculo de média, tendo em vista que esta resposta também está imbricada com o possível desconhecimento ou a não aplicação dos critérios para a dimensão avaliada na opinião do pesquisado.

O acesso aos instrumentos é realizado através de links disponibilizados no site oficial da UniFCV, do sistema JACAD e do Moodle. Para este fim, um software de aplicação de pesquisa é adaptado de forma a respeitar e garantir os princípios estabelecidos neste projeto e permitir o acesso aos respondentes apenas uma única vez.

Os resultados são analisados e compreendidos separadamente, de acordo com cada dimensão avaliada. Quando forem utilizadas escalas menores, a conversão será realizada de acordo com a escala utilizada, buscando-se a mensuração e pontuação adequada.

 

Em caso de dúvidas ou sugestões, por favor, entre em contato através do e-mail [email protected]